Arquivo da tag: Juntas e Misturadas

“10, ou quem o machismo matou hoje?”, por Tica Moreno

[tweetmeme]

A @ticamoreno fez um post super bacana sobre o #machismomata no Roupas no Varal. Ela captou bem a ideia do blog: mostrar que o femicídio vai muito além de adolescentes assassinadas pelo namorado ao vivo na tv ou atrizes globais esfaqueadas pelo companheiro de trabalho. Claro que não há intenção de desmerecer tais casos, mas não podemos aceitar a exploração midiática desses crimes com elementos cinematográficos e fechar os olhos às centenas de Marias, Anas, Franciscas, Patrícias, que são mortas em situações sem apelo sensacionalista, mas vítimas do mesmo algoz: o machismo. Como muito bem expressou a @talitastt: “para que nenhum dia passe em branco”.

10, ou quem o machismo matou hoje?

Meu nome é Renata, mas poderia ser Noeli.

No ano passado fizemos uma semana de ativismo digital. Várias militantes feministas, mulheres e alguns homens se manifestaram via twitter, facebook, blogs, etc pelo #FimDaViolenciaContraMulher

Muita gente se envolveu, muita gente progressista não se envolveu. Um RT aqui, outro ali.

Nós da @marchamulheres atuamos nas ruas de várias cidades e na rede também, contribuindo pra que o #FimDaViolenciaContraMulher ficasse por um tempo nos TTBr, no dia 25 de novembro.

Alguns dos posts dessa semana estão aqui, mas eu queria falar de uma iniciativa que foi criada a partir desse ativismo digital, que funciona super bem e que deveria ter muito mais audiencia do que tem: o blog Quem o machismo matou hoje? e o twitter @machismomata

Nós sabemos que o machismo mata 10 mulheres por dia no Brasil.

Mas muita gente não se liga na concretude dessa estatística. São sonhos, projetos, amizades, bandas favoritas, ingresso pro jogo de futebol comprado, namoros, férias, reunião no dia seguinte, roupas no varal, livros na cabeceira, desejos, vestibular, twitter, facebook…….. que acabam por conta da violência contra as mulheres, da opressão, do machismo. A gente pode chamar de vários nomes.

São mulheres mortas por homens. Tem nome quem morreu, e tem nome quem matou.

E essa nossa sociedade só se liga na violencia sexista quando envolve alguém famoso, ou é um caso muito bizarro e cruel, escandaloso, que dá audiencia.

O @machismomata joga na nossa cara o cotidiano da violencia sexista. É dificil ler, embrulha o estômago. Mas ignorar e ocultar é covardia e conivencia.  Reconhecer/enxergar/visibilizar a violência contra as mulheres é um passo necessário pra combate-la. Tem que denunciar, se indignar, combater.

A violência contra as mulheres precisa acabar. E pra estar nessa luta, não precisa ser feminista e de esquerda. Basta ser humano.

***


Deixe um comentário

Arquivado em