Arquivo da tag: Condenado

Acusado de matar ex-namorada e filho pega 56 anos de prisão, em GO

[tweetmeme]

Terminou na noite de terça-feira (4), em Piracanjuba (GO), a 87 km de Goiânia, o julgamento de Marcos César e Fernando Fernandes, acusados de matar Juliene Guimarães e o filho de 9 meses. Marcos foi sentenciado a 56 anos de reclusão e Fernando a 59.

Depois de aproximadamente 17 horas em júri popular os dois rapazes foram condenados pelos crimes de ocultação de cadáver e homicídio triplamente qualificado.

Crime
O assassinato aconteceu em fevereiro de 2009. Segundo o Ministério Público (MP), Juliene de Souza e o filho de 9 meses foram mortos com golpes de barra de ferro em uma fazenda da cidade e os corpos foram enterrados em uma cova.

As investigações policiais apontaram que o acusado os matou porque não queria fazer o exame de DNA. Mesmo depois da morte do bebê, o teste comprovou que o garoto era filho do acusado.

Notícia retirada do Portal G1

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Juliene

Homem pode ser preso 26 anos após matar a esposa

[tweetmeme]

Depois de 26 anos do crime, o engenheiro Edgar Nunes de Almeida, acusado da morte da esposa, a estudante de Direito, Dóris Teresa Fontenele Bruno, cumprirá os dez anos de prisão a que foi condenado em 1999. O mandado foi expedido há dois anos pelo juiz Whosemberg de Morais Ferreira, em Beberibe, enviado à Polícia Civil da Bahia (onde mora o acusado) e, por razões desconhecidas não foi cumprido. Só agora, a família da vítima conseguiu acionar a Polícia, em Salvador, para capturar o engenheiro.

O crime aconteceu no dia 1º de outubro de 1985. O casal estava numa audiência, no Fórum Clóvis Beviláqua, para decidir a separação e a guarda da filha única, Ahiran Buno. Segundo os autos, Almeida sequestrou Dóris no intervalo da audiência e a levou para a Fazenda Cirros, na localidade de Serra do Félix, em Beberide. No caminho, segundo o processo, ele a estrangulou e colocou o corpo na mala da Belina que os transportava. Além do assassinato, Almeida ainda tentou esconder o cadáver, enterrando-o. Três dias depois o corpo da jovem foi encontrado numa cova rasa.

O processo arrastou-se por todos 25 anos. O réu recorreu às sentenças, conseguiu habeas corpus, pediu desaforamento do caso e vinha conseguindo adiar o cumprimento da pena. Conforme a família da vítima, Almeida levou uma vida normal, morando com a nova esposa e os dois filhos, em Salvador. Ganhou um prêmio como engenheiro, ministra palestras, faz doutorado e sai do País legalmente. A filha do casal, hoje com 29 anos, diz que, no único encontro com o pai, ele a usou para tirar fotos dos dois e colocá-las no processo para provar ter cumprido suas obrigações de genitor. Ahiran, diz que o sentimento de impunidade foi diminuído com a notícia de que a Polícia deverá prendê-lo.

Notícia retirada do Portal Diário do Nordeste

2 Comentários

Arquivado em

Homem é condenado a 20 anos de cadeia por matar namorada em 2009

[tweetmeme]

A Justiça condenou o pagodeiro Neyly Silva Santos, 26, a 20 anos de prisão pelo assassinato de sua ex-namorada, Gislainni Paola Neves Santos, 26, morta com seis facadas no tórax, braço e orelha, porque havia rompido a relação de mais de sete anos.

O assassinato da jovem ocorreu na casa dela, na noite do dia 30 de dezembro de 2009, no bairro João Bosco Pinheiro, em Cuiabá.

Neyly foi condenado por homicídio qualificado, praticado por motivo considerado fútil e com requintes de crueldade. O julgamento ocorreu na última sexta-feira (10), no Tribunal do Júri da Comarca de Cuiabá, presidido pela juíza Mônica Catarina Perri de Siqueira.

No entendimento do promotor criminal João Augusto Gadelha, que participou do julgamento, a pena não pode ser considerada exagerada, uma vez que se trata de um crime contra a vida.

O réu deverá cumprir dois quintos da pena em regime inicialmente fechado. Ele ficará menos de oito anos atrás das grades, uma vez que está preso desde abril do ano passado.

“A pena [de 20 anos de condenação] alta é uma forma de reprimir esses tipos de crimes. A pena tem a função de prevenção, pois ela acaba inibindo as pessoas de tentarem fazer o mesmo”, observou o promotor.

De acordo com as investigações realizadas pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o casal se relacionava há sete anos, mas, dois meses antes do crime, Gislainni teria se cansado do namorado e resolveu encerrar a relação.

Segundo as informações, ela reclamava com amigas que não aguentava trabalhar sozinha, uma vez que a única ocupação de Neyly era a de pagodeiro e não tinha um emprego fixo que lhe garantisse uma renda mensal.

Assim que terminou o namoro, ela o trocou por um colega de trabalho. O pagodeiro não gostou de saber que havia outro homem na vida dela e chegou a flagrar o casal num motel. Mesmo assim, ele não reagiu, de imediato.

No dia do crime, Neyly foi na casa de uma amiga da vítima, pegou a bolsa de Gislainni, com documentos e outros objetos pessoais. Era uma forma de ela procurá-lo. O pagodeiro ficou de levar a bolsa na casa da jovem. Os dois conversaram, tiveram relação sexual e, antes de ir embora, a executou com seis facadas.

Neyly fugiu após o crime, mas, quatro meses depois, se apresentou à Polícia Civil. Como estava com a prisão preventiva decretada, foi direto para o Presídio Central do Estado (PCE).

Notícia retirada do Portal Midia News

1 comentário

Arquivado em Gislainni

Acusado de estupro e assassinato de jovem é condenado a 30 anos de prisão, em Pernambuco

[tweetmeme]

O estudante Thiago Tavares Alencar, acusado pela morte da jovem Amanda Beatriz Silva de Oliveira, de 16 anos, ocorrida em janeiro de 2007, foi condenado a uma pena de 30 anos, informou o Tribubnal de Justiça de Pernambuco. A sentença, decidida por júri popular, foi anunciada no início da noite desta terça-feira.  O acusado, amigo da vítima, foi acusado pelos crimes de estupro, atentado violento ao pudor e homicídio quadruplamente qualificado. Thiago já cumpre pena há quatro anos e quatro meses.

Durante o julgamento, os advogados do réu tentou argumentar que não existiam provas periciais capazes de comprovar a participação de Thiago em todos os crimes.
Familiares de Thiago e da vítima acompanharam o julgamento. A mãe do acusado, em conversa com amigos, afirmou acreditar na inocência do filho. Ela saiu da sala no momento em que a promotoria se pronunciava disse estar passando mal com as mentiras que estaria ouvindo.

Amanda Beatriz de Oliveira foi morta no apartamento 303 do edifício Santa Emília, na Avenida Manoel Borba, bairro da Boa Vista, a socos e pontapés, após ser estuprada. Depois de morta, a estudante teve seu corpo enrolado numa rede, coberto por argamassa e escondido num cesto de roupas. O cadáver foi descoberto pela polícia em adiantado estado de putrefação, depois que o assassino resolveu confessar o crime. Além de Thiago, Geison Duarte da Silva, que também participou do crime, também foi condenado.

Notícia retirada do Portal Pernambuco

Deixe um comentário

Arquivado em

Homem que matou ex e colocou rato morto em sua boca é condenado a 14 anos, em MG

[tweetmeme]

O padeiro Leandro Mendes Pereira, de 27 anos, acusado de matar a ex-namorada em 2008, no Bairro Maria Goretti, Região Nodeste de Belo Horizonte, foi condenado na noite desta segunda-feira a 14 anos de prisão. Ele aguardava o julgamento preso, em Ribeirão das Neves.

A sentença foi proferida por volta das 20h30 pelo juiz Chirtian Gomes de Lima, no salão do I Tribunal do Júri do Fórim Lafayette. O magistrado considerou a decisão do júri e reconheceu a tese do promotor Edson Ribeiro Baeta de que Leandro cometeu os crimes de homicídio qualificado e vilipêndio (desrespeito) de cadáver.

De acordo com a acusação, Leandro estava inconformado com o término do namoro e asfixiou a vítima com as mãos, até que ela caísse no chão. Ao ver que a ex-namorada continuava viva, ele a enforcou com o sutiã. Após matá-la, tirou toda a roupa dela e colocou um rato morto na boca da namorada.

O juiz condenou o réu a 13 anos de prisão em regime fechado pelo crime de homicídio qualificado e ainda a um ano em regime aberto pelo crime de vilipendio. O magistrado ainda negou a Leandro o direito de recorrer da sentença em liberdade. Após a audiência, ele foi levado de volta ao Presídio Inspetor José Martinho Drumond, em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte.

Notícia retirada do Portal Estado de Minas

Deixe um comentário

Arquivado em

Homem condenado a prisão perpétua por matar esposa que colocou o status “solteira” no facebook, na Inglaterra

[tweetmeme]

Uma mulher foi morta pelo marido após mudar seu status no site de relacionamentos Facebook de “casada” para “solteira”. O britânico Edward Richardson, 41 anos, foi condenado pela morte de Sarah Richardson, 26, ocorrida em 12 de maio de 2008.

Segundo informações do G1, ele teria esfaqueado a mulher na casa dos sogros, tentando se matar em seguida. Richardson foi condenado a prisão perpétua, sem direito a revisão da pena antes de 17 anos de prisão.

A promotora responsávelo pelo caso disse ele ficou com raiva ao ver a alteração no Facebook e foi procurá-la já que Sarah não estava respondendo suas mensagens. Richardson teria então quebrado uma janela e ao encontrá-la no quarto a esfaqueou.

Notícia retirada do Portal Diário de Canoas

Deixe um comentário

Arquivado em

Homem que tentou matar namorada dentro de universidade em Belo Horizonte é condenado a 6 anos, mas vai recorrer em liberdade

[tweetmeme]

O autônomo Rodrigo Wenceslau Nassif Silva, 34 anos, foi condenado, em júri popular, nesta terça-feira (10), a seis anos e seis meses de prisão por tentativa de homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e com emprego de recurso que impossibilitou defesa da vítima. Ele tentou matar a ex-namorada Daniele Jequeline Ramos Nascimento, de 23 anos, no dia 7 de abril de 2008. O crime aconteceu dentro do Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH), no Bairro Buritis, na Região Oeste da capital.
O prazo legal de recurso da sentença proferida pelo juiz Glauco Eduardo Souza Fernandes é de cinco dias. Enquanto isso, Rodrigo fica em liberdade. O advogado Lúcio Adolfo disse que vai se reunir nesta quarta-feira (11) com seu cliente para decidir se irá recorrer. O Ministério Público informou que não vai entrar com recurso por entender que os jurados atenderam a todos os argumentos da acusação.
A sessão foi iniciada por volta das 8h30. Familiares do réu e da vítima acompanharam todo o julgamento. A primeira a ser ouvida foi Daniele Nascimento. Na sequência, as duas amigas que presenciaram o crime, Fabiana França Raposo e Juliana Nascimento Gonçalves, responderam as perguntas da promotoria e da defesa. Outras testemunhas foram dispensadas. O último a ser ouvido foi o réu, que chorou durante depoimento.
Daniele Nascimento contou, antes do julgamento, que estava confiante na Justiça. Ela revelou que desde que o ex-namorado começou a responder o processo em liberdade, em maio de 2009, ela largou o emprego, atrasou o curso da faculdade, afastou-se de amigos e teve que mudar de Estado, em função do medo de uma nova tentativa de assassinato. “Estou vivendo escondida. Me afastei de tudo”, enfatizou.

Uma das primeiras pessoas a chegar foi a mãe da vítima, a aposentada Maria do Carmo Ramos, 61 anos. Ela disse que devido o andamento do processo e adiamentos, estava com poucas esperanças de Justiça. “Minha filha ainda tem trauma e agora tem dificuldades de entrar em novos relacionamentos”, afirmou a mãe.
Durante o julgamento, Rodrigo entrou em contradição diversas vezes e confessou o crime por estar inconformado com o fim do relacionamento de dois anos e meio. Ele disse que atirou por ciúmes e não soube explicar sua intenção ao cometer o crime. O autônomo ainda afirmou que ficou muito enciumado quando descobriu que Daniele foi até o show Axé Brasil. “Fiz uma burrada na minha vida e na dela. Ninguém precisava ter passado por isso. Não tem como não estar arrependido”, afirmou o réu.
O julgamento estava marcado para acontecer em 10 de fevereiro deste ano, porém foi adiado a pedido da defesa do réu.
O crime
No dia 7 de abril de 2008, Rodrigo Wenceslau, inconformado com o fim do namoro, foi até a faculdade Uni-BH e disparou cinco vezes contra a jovem. Dois tiros acertaram a cabeça, um no tórax, um no braço e outro no pulso. Uma das balas ficou alojada no crânio da vítima. Rodrigo chegou a ser preso duas vezes e a tomar uma superdosagem de medicamentos numa tentativa de suicídio. Em maio de 2009 ele passou a responder em liberdade.

Notícia retirada do Portal Hoje Em Dia

Deixe um comentário

Arquivado em