Depoimento: Fui molestada pelo meu pai

 

Que perfeição as informações postadas. Dolorosas, mas perfeitas para nos levantar do anonimato e falar as mazelas que passamos.

 

Ao mesmo tempo que fico gelada, com medo  lembrando-me de tudo que passei da vontade de fazer um blog assim, relatando o que vivi ao lado de um monstro pai.

 

Aos 16 anos de idade meu pai me molestou na minha própria cama,ele já tentará entrar em meu quarto, isso quando não tentava me olhar pela janela do banheiro tomando banho. Eu vivia com medo daquele monstro, de ir para casa, de dormir, quantas noites passava em claro sem pregar os olhos. É por isso que hoje sou assim, sentimentalmente sentimental por todo esse tipo de assunto, nada que me remeta a dores profundas, sou uma mulher formada, esclarecida que lida com o passado muito bem.

 

De tudo isso eu só tenho que agradeçer a Deus por não ter sido uma dor maior, já que o ato em si não o foi finalizado, mas há marcas em meu corpo que gritam até hoje, principalmente quando vejo notícias assim na tv, do meu lado e até na minha família.

 

É doloroso saber que ao contar para minha mãe ela não acreditou em mim, hoje entendo por que a trato com indiferença e dó ao mesmo tempo. Mulher que foi espancada a vida inteira juntamente com as filhas, acredita que o marido é seu santo, seu guia e o teme e também o respeita de uma forma absurda, coitada eu tenho muito pena dela, mas já tive também muito rancor.

 

Queria eu ter tido uma familia que me encorajasse a ser mulher sem feridas, mas a vida não é feliz para todos e em algum momento eu tive que escolher em ser feliz sem a familia (o que não seria real nunca, mas sim fantasia da cabeça de uma garota que brincava de Barbie)… que tinha uma infânica mascarada por brinquedo em todo Natal, dia das crianças, e que tinha seu pai beijando em sua boca quando chegava do trabalho.

 

Eu não tinha capacitação amadurecimento em levar tal fato a policia, defensoria ou etc. E como meu suporte maior não me deu força eu me sentia sozinha no mundo. E sozinha eu parti, levando minha irmã é claro… já que sendo mais nova que eu começara também a ter visões de moléstia dentro da própria casa, contra ela mesma.

 

Abandonamos aquele lar almadiçoado e hoje somos amigas que tentam não abrir as feridas que o caminho da vida nos deixou. Eu hoje conto a qualquer um minha saga, apesar de já ter tido muita vergonha. O ódio por ele abriu espaço para o perdão… indiretamente, já que não tenho mais vontade que ele morra como tinha, mas que pague a cada segundo de sua vida. Ficando sem grana no bolso,  sem emprego, ou com qualquer dificuldade que o remeta a se lembrar do que fez e saber em seu íntimo que essas razões do passado exercem forte pressão sobre a sua vida ainda, mesmo que já tenham se passado mais de 15 anos.

 

Obrigada por deixar-me expressar esse fato que a 15 anos nunca foi postado em lugar algum.

 

 

Camila Maciel


 

About these ads

2 Comentários

Arquivado em

2 Respostas para “Depoimento: Fui molestada pelo meu pai

  1. Maria

    Camila querida, não sei, mas imagino que a sua dor seja grande devido a esse grande Vale que vc atravessou. Só quero te dizer que; para que suas feridas sejam saradas, vc deve tentar perdoa-lo, não o perdão da boca pra fora, mais o verdadeiro perdão, aquele que vem do coração. Que Deus derrame do bálsamo de cura sobre sua vida. amém!

  2. Ola camila…
    Isso também aconteceu comigo, só que era meu tio.
    Tinha uns 6 a 8 anos. ele tem 5 anos a mais.
    Minha avó havia ido pro curso e não tinha ninguém em casa. Ele me molestou ali. Hoje tenho 15 anos, moro na mesma casa que ele.
    Estou em panico, embora só tenha acontecido uma vez, tenho um irmão de 9 anos e estou apavorada que ele possa fazer algo com a pessoa que mais amo na minha vida, Eu só comecei a falar quando tinha 4 anos (por problemas de audição) fui parar no psicologo para melhorar a fala.
    Quando aconteceu minha psicologa notou a diferença em mim, ai foi efeito domino, ela falou que eu podia confiar nela, e a otária acreditou( que não ia contar para minha mãe e tal) Eu contei a ela, e foi a pior coisa que eu poderia ter feito. Ela contou para minha mãe e minha mãe falou comigo e eu confirmei ela contou para minha avó (minha avó é totalmente submissa ao ‘filho querido’[aquela mãe que prefere um filho a outro] ) então já sabe o que eu passei naquela epoca, e depois de umas 2 semanas falando com psicologa eu desmenti por que eu não tava aguentando o clima em casa, preferia ser mentirosa do que a destruidora na paz da familia, desde então comecei a corroer meu coração para deixar os outros felizes.
    Me desculpa por escrever tanto mais acho está sendo bom para mim.
    nada melhor que conversar com alguem que sabe do que estou falando.
    Mais eu sinto a cada dia que preciso me abri com alguem que seja extremamente confiavel.
    Obrigada por ler .
    Se quiser me chama por Msn.
    Trocar uma ideia, sei lá.
    Mais: força na sua luta.
    Namaste

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s