Arquivo do mês: junho 2011

30 de Junho de 2011

 Suzana Tenório Ramalho foi encontrada morta em um lixão com indícios de estupro.

Maceió, AL

Leia a notícia

  Leila Fialho da Costa, 50 anos, foi encontrada morta por estrangulamento e com sinais de estupro em um terreno baldio.

Campo Grande, MS

Leia a notícia

Deixe um comentário

Arquivado em Leila, Suzana

29 de Junho de 2011

 Adriane Mello de Jesus, 16 anos, foi encontrada assassinada a tiros em um matagal e com indícios vítima de estupro.

Salvador, BA

Leia a notícia

 Antônia Sângela da Costa, 26 anos, levou três tiros no rosto disparados pelo companheiro. O homem se matou em seguida. A família diz que Antônia estava tentando se separar.

Juruá, AM

Leia a notícia

Deixe um comentário

Arquivado em Adriane, Antônia

Pesquisa revela que 47% das mulheres já sofreram violência doméstica

Em pesquisa sobre violência doméstica, divulgada nesta terça-feira, pelo Instituto Avon e pela Ipsos, revela que 47% das mulheres confessaram que já foram agredidas fisicamente dentro de casa. O levantamento “Percepções sobre a Violência Doméstica contra a Mulher no Brasil” revelou ainda que, na região Centro-Oeste do país, o medo de ser morta é o principal motivo das mulheres agredidas não abandonarem os seus agressores. O motivo foi apontado por 21% das entrevistadas na região.

Nos estados do Sudeste, o medo de ser morta caso rompa a relação chega a 15%. No Sul, 16%. O Nordeste tem o menor índice: 13%. O estudo também mostrou que o alcoolismo e o ciúme são os principais motivos da agressão à mulher.

- É uma vergonha a mulher não sair de casa porque podem ser mortas. Ciúme não é paixão. É algo mais complexo. O homem acha que tem posse da mulher. E a sociedade machista é um problema porque acha que a mulher não tem direito à autoestima e nem pode falar, se manifestar – comenta a socióloga Fátima Jordão, conselheira do Instituto Patrícia Galvão, Ong que defende os direitos da mulher.

Entre as mulheres agredidas no país, 15% apontam que são forçadas a fazer sexo com o companheiro. Os homens também admitem que já agrediram fisicamente as mulheres: 38%. Além de ciúmes e alcoolismo, eles confessam que já bateram nas companheiras sem motivo (12% das razões apontadas).

A falta de dinheiro para viver sem o companheiro também é um motivo apontado pelas mulheres que não largam os seus agressores (25%).

O estudo mostrou que a sociedade não confia na proteção jurídica e policial nos casos de violência doméstica. Essa é a percepção de 59% das mulheres e de 48% dos homens. – Denunciar depende da coragem da mulher. O número de denúncias feitas ainda é pequeno em relação à violência que existe. Isso acontece porque as políticas públicas, que incluem delegacias especializadas e centros de referência, para que a mulher confie e vá denunciar ainda estão aquém da necessidade – diz Maria da Penha Fernandes, que teve a história de vida como inspiração na criação da Lei Maria da Penha, que completará cinco anos em vigor. Em 1983, Maria da Penha ficou paraplégica após levar um tiro do marido.

Atualmente, o país tem 388 delegacias especializadas no atendimento à mulher, 70 juizados de violência doméstica, 193 centros de referência de atendimento à mulher e 71 casas para abrigo temporário.

A pesquisa foi feita em 70 municípios brasileiros, com 1.800 homens e mulheres, entre 31 de janeiro e 10 de fevereiro. Para relatar a violência vivenciada, os entrevistados responderam um questionário sigiloso e devolveram o envelope lacrado.
Notícia retirada do Portal O Globo

2 Comentários

Arquivado em

A partir de Julho presos por violência doméstica não ficarão mais na cadeia antes da condenação

Daqui a uma semana, no dia 5 de julho, presos por crimes com pena de até quatro anos de reclusão não ficarão mais na cadeia, antes da condenação, e aqueles que já estão no sistema carcerário poderão ser soltos. A determinação é da Lei 12.403 de 4 de maio de 2011. Estima-se que em Mato Grosso do Sul cerca de 3.800 presos sejam beneficiados, segundo dados da Agência Estadual de Administração Penitenciária (Agepen), num total de 9.600 mil detentos distribuídos em 44 unidades de regimes fechado, semi-aberto e aberto.

A nova lei altera dispositivos do Código de Processo Penal. Os indivíduos que forem flagrados cometendo furtos simples, violência doméstica, abandono de incapaz, maus tratos, sequestro e cárcere privado e porte ilegal de arma de fogo não poderão mais serem recolhidos em uma cela para aguardarem julgamento. O Judiciário também não poderá mais autorizar prisão preventiva para esses tipos de criminosos. Eles só ficarão presos se não pagarem fiança, se forem reincidentes e não tiverem residência e trabalho fixos.

Mas os privilégios não se restringem aos praticantes apenas desses atos ilegais e a lei assume caráter ainda maior de impunidade pois também pode favorecer as punições de quem atenta contra a vida alheia. O homicídio culposo (sem a intenção de matar) e que geralmente é visto em acidentes de trânsito com mortes também pode cair na categoria com condenação de até 4 anos.

A restrição da liberdade passa a ser o último recurso para punir esses autores. O judiciário poderá optar por uma série de medidas que podem ser aplicadas ao acusado, antes de colocá-lo atrás das grades.

Entre elas estão: comparecimento periódico em juízo; proibição de acesso ou frequência a determinados lugares; proibição de manter contato com pessoa determinada; proibição de ausentar-se da comarca; recolhimento domiciliar no período noturno e nos dias de folga; suspensão do exercício de função pública ou de atividade de natureza econômica ou financeira; internação provisória do acusado nas hipóteses de crimes praticados com violência ou grave ameaça, quando os peritos concluírem ser inimputável ou semi-imputável; pagamento de fiança, monitoração eletrônica; prisão domiciliar para mulheres grávidas acima de sete meses ou gravidez de risco ou ainda que tenha filho menor de seis anos e pessoas idosas (acima de 80 anos) ou que tenham algum problema de saúde grave ou deficiência.

 Impacto será medido

O diretor da Agepen, Deusdete de Oliveira, realiza atualmente um levantamento para mapear o número exato de presos do sistema carcerário estadual que poderão ser beneficiados com as alterações da Lei do Código de Processo Penal. “Eles serão soltos gradativamente, conforme as análises do Judiciário, caso a caso”, explica.

As autoridades do sistema carcerário parecem ser as únicas a ver com bons olhos a nova lei. É exatamente essa a opinião do diretor da Agepen. Ele defende que poderão ser aplicadas medidas mais direcionadas aos crimonosos que restarem nas prisões pois estes “serão de maior potencial ofensivo. Não vamos estar lidando com um sistema prisional onde há criminosos primários e outros condenados por várias práticas”, aponta. Entretando, o diretor ainda não definiu que tipo de medidas poderiam ser adotadas, em um presídio, para esse público em específico.

Coincidentemente, o déficit de vagas no sistema prisional em Mato Grosso do Sul é de 3.500 presos. Cerca de 200 presos ingressam nas penitenciárias da Capital e do interior todos os meses. Antes de projetar como será o sistema prisional com essa nova lei, adverte o diretor, é preciso medir seu impacto. “Vamos ter de analisar se o volume de ingresso de presos deve mesmo diminuir, para então, pensarmos em adotar novas medidas”, compara.

Notícia retirada do Portal Correio do Estado

2 Comentários

Arquivado em

28 de Junho de 2011

 Elaine Cristina dos Santos Souza, 34 anos, foi estrangulada com um cadarço pelo marido, que após o assassinato escondeu o corpo no porta-malas do carro e ateou fogo. A princípio ele alegou que ela havia sequestrada, mas confessou o crime.

Hortolândia, SP

Leia a notícia

 Gerusa Haus, 22 anos, morreu após ser baleada pelo ex-namorado no dia 18 de Junho.

Caçador, SC

Leia a notícia

 Selma Sebastiana Barros, 48 anos, foi assassinada a facadas pelo ex-marido, de quem estava separada há dois meses.

Barcarena, PA

Leia a notícia

1 Comentário

Arquivado em Elaine Cristina, Gerusa, Selma

Homem atira na esposa e comete suicídio, no Rio

Um homem atirou contra a mulher e se matou em seguida, na tarde desta segunda-feira (27), na estrada do Tinguí, em Campo Grande, na zona oeste do Rio.

O crime aconteceu dentro do bar do casal, na altura do número 1.316. O homem deu um tiro na nuca da mulher e em seguida acertou um tiro na própria cabeça.

A mulher foi socorrida e levada para o hospital Rocha Faria, em Campo Grande, enquanto o marido dela morreu na hora. A arma do crime foi encontrada ao lado do corpo do homem.

Os motivos do crime ainda são desconhecidos. Até as 14h, não havia informações sobre o estado de saúde da mulher.

Notícia retirada do Portal R7

Deixe um comentário

Arquivado em

Homem é assassinado por genro ao tentar defender a enteada, em Manaus

O pedreiro Raimundo Neuton Alves Braz, 38, foi assassinado com duas facadas, sendo uma no peito e outra na cabeça, durante a madrugada de hoje, na Rua Celebridade, no Novo Israel, zona norte. A esposa dele, a dona de casa Maria do Socorro Braz, 48, contou que o crime foi praticado pelo genro dele, o servente de pedreiro Júlio César Serrão Gomes, 31, após a vítima tentar defender a enteada durante uma briga.

Maria comentou que ainda tentou correr e segurar Júlio, para evitar que ele agredisse Raimundo. “Eu puxei pela camisa dele (Júlio), mas quando eu vi, meu marido já estava ferido. Ele acabou com a minha vida e agora nós queremos justiça”, pediu ela. O crime vai ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Raimundo foi assassinado por volta de meia-noite. De acordo com Maria, ele havia ido até a casa da enteada depois dela ter dito que havia sido espancada por Júlio. Quando chegou, encontrou o suspeito agressivo e começaram a discutir, logo em seguida, Júlio pegou a faca e atingiu a vítima.
Até o fechamento desta edição, o suspeito não havia sido localizado pela polícia.

Notícia retirada do Portal D24AM

Deixe um comentário

Arquivado em

Homem mata pai de ex-namorada que não quis reatar o relacionamento e comete suicídio, no RS

Um soldado do Exército matou o pai da ex-namorada e se matou em seguida na manhã de domingo (19) em São Gabriel (RS), segundo informações do boletim de ocorrência da Polícia Civil. Anderson Rodrigues, de 22 anos, era armeiro da Companhia de Comando de São Gabriel, vinculada ao 6º Batalhão de Engenharia. A função consiste em distribuir e receber armas da unidade.

Segundo a Polícia Civil, em depoimento, a ex-namorada disse que estava num clube na noite de sábado (18) quando foi abordada por Anderson. Ele teria dito que, se ela não voltasse a namorá-lo, iria ao quartel buscar armas para matá-la e o pai.

De acordo com informações do Comando Militar do Sul, sem que ninguém notasse, o soldado levou duas pistolas da companhia, foi até a casa do ex-sogro, Heraldo de Oliveira, de 60 anos, e o matou com um tiro na cabeça. Em seguida, atirou no próprio peito. O Exército abriu um inquérito policial militar para apurar o caso. Os corpos dos dois foram encontrados na cozinha da casa.

Notícia retirada do Portal G1

1 Comentário

Arquivado em

27 de Junho de 2011

 Francisca Edna Pereira dos Santos, 37, foi morta com cinco tiros pelo ex-marido.

Ocara, CE

Leia a notícia

  Silvia Marques foi assassinada com dois tiros pelo ex-namorado. O homem se matou em seguida.

Jundiaí, SP

Leia a notícia

 Maria Alexandre da Silva, 59 anos, foi assassinada a facadas pelo marido. O homem tentou se matar em seguida.

Ibirajuba, PE

Leia a notícia

 Selma Barros Gomes, 43 anos, foi assassinada pelo marido. O homem se matou em seguida.

Barcarena, PA

Leia a notícia

Deixe um comentário

Arquivado em Francisca, Maria, Selma, Silvia

Goleiro da Costa Rica é cortado da Copa América por agredir namorada

Diante das acusações de que o goleiro da seleção da Costa Rica, Esteban Alvarado, agrediu a namorada, a federação de futebol do país decidiu cortar o jogador da disputa da Copa América, que começa na sexta-feira, na Argentina. O técnico Ricardo La Volpe ainda não decidiu quem será o substituto.

O goleiro ainda foi denunciado por coação e intenção de homicídio. De acordo com o advogado da vítima, Alexander Rodríguez, Alvarado e Marcela Juárez namoram desde dezembro de 2009, mas só no ano passado as agressões começaram. A relação acabou em fevereiro e, ainda segundo o advogado, o goleiro passou a ameaçar Juárez de morte.

De acordo com a imprensa da Costa Rica, a vítima solicitou uma decisão judicial para impedir que Alvarado deixasse o país e partisse para a Argentina junto a seleção.

No entanto, segundo o fiscal Edwin Retana, em entrevista ao jornal La Nacion, as denúncias contra o goleiro ainda não foram aceitas e só serão analisadas a partir da próxima semana.

Notícia retirada do Portal Terra

Deixe um comentário

Arquivado em